Edna Oliveira: Teletrabalho não funcionou em pleno em todos os serviços devido às características das empresas

0
0
0
s2sdefault

A secretária de Estado para a Modernização Administrativa, Edna Oliveira, admitiu ontem,03, que o regime de teletrabalho não funcionou em pleno em todos os serviços durante o estado de emergência no país devido às características de algumas empresas.

Em declaração à Inforpress, para fazer uma avaliação do teletrabalho durante o estado de emergência, a governante disse que, apesar de não ter conhecimento de como funcionaram todos os serviços administrativos, houve empresas onde o teletrabalho foi em pleno, devido a sua natureza de prestação de serviço.

“Se num serviço o fluxo processual é em formato papel, torna-se um bocadinho complicado fazer o teletrabalho (…) naturalmente que não funcionou em pleno em todos os serviços”, notou.

Por outro lado, Edna Oliveira avançou que com o estado de calamidade, a orientação do Ministério de Administração Pública é para retomar o funcionamento dos serviços de forma presencial e manter o teletrabalho em casos excepcionais e dependendo da natureza da empresa.

“Lá onde for possível, pode algum trabalhador exercer o teletrabalho, depois de uma avaliação da empresa”, explicou, indicando que com o fim do estado de emergência os serviços devem funcionar com a presença física dos funcionários.

No entanto, apontou que, considerando a situação de pandemia, se um dirigente da empresa considerar que a presença de um funcionário não é necessária para cumprir as suas tarefas pode-se recorrer ao teletrabalho.

“Não há uma orientação genérica para manter o teletrabalho, mas está a ser exercido com base nas condições e características propícias de cada empresa”, ressalvou.

No quadro da declaração das medidas de contingência para fazer face a pandemia da covid-19, o Governo determinou, no dia 24 de Março, o enceramento de todos os serviços e empresas públicas, e autorizou, conforme as situações permitirem, o recurso ao teletrabalho e ao trabalho a partir de casa, sem prejuízo dos serviços urgentes cuja natureza requer a presença física.

Cabo Verde contabiliza neste momento 477 casos acumulados de covid-19, 238 recuperados e 5 óbitos.

As autoridades nacionais reforçam o apelo para que as pessoas fiquem em casa e tomem os devidos cuidados para evitar a propagação da pandemia.

 

Fonte: https://noticias.sapo.cv/economia/artigos/edna-oliveira-teletrabalho-nao-funcionou-em-pleno-em-todos-os-servicos-devido-as-caracteristicas-das-empresas

 

5ª Edição da Newsletter da PRÓ EMPRESA

0
0
0
s2sdefault

 

Caros parceiros,
Empresários e empreendedores!
 
Nesta 5ª edição da nossa newsletter, a linha editorial tem foco no turismo. Trazemos uma análise dos desafios que o País e as empresas turísticas, em particular, terão pela frente para conseguir reconquistar a confiança dos operadores turísticos internacionais e  recolocar o destino Cabo Verde na rota do turismo mundial. 
 
Sabemos que é imprescindível garantir nesta fase da retoma da actividade empresarial um apoio específico às empresas e aos operadores do sector do tursimo, com eficiência e eficácia exigida. Por isso, do lado da PROEMPRESA, apresentaremos um conjunto de medidas de reforço da Assistência Técnica, com vertentes específicas para se alcançar com sucesso a certificação de segurança sanitária, tão necessária e exigida nos novos tempos. 
 
Assim, sem fugir à regra, desta feita com o foco no turismo, apresentamos-lhe algumas dicas empresariais de como fazer com que a retoma seja mais célere,  aproveitando para apresentar um exemplo prático duma empresa nacional que está a conseguir driblar esta crise.
 
Desejamos a todos, uma boa leitura.
 
O Conselho Diretivo da Pró Empresa
 

Governo reforça Programa Fomento ao Micro Empreendedorismo

0
0
0
s2sdefault

Governo reforça Programa Fomento ao Micro Empreendedorismo

O Ministro da Presidência do Conselho de Ministros, Fernando Elísio Freire, referiu, em conferência de imprensa hoje, 22 de maio, que a economia cabo-verdiana sendo extremamente aberta, os efeitos sobre o turismo e os transportes são muito fortes e sensíveis provocando uma quebra no crescimento, nas receitas do turismo e com grande impacto no emprego.

O Governo reunido em Conselho de Ministros desta semana aprovou uma proposta de resolução que procede à segunda alteração da Resolução nº 97/2017 de 22 de agosto pela resolução nº 32/2020, de 24 de Fevereiro, que cria o Programa Fomento ao Micro Empreendedorismo, tendo em conta os efeitos da crise da Covid-19 sobre a economia cabo-verdiana.

O Ministro da Presidência do Conselho de Ministros, Fernando Elísio Freire, referiu, em conferência de imprensa hoje, 22 de maio, que a economia cabo-verdiana sendo extremamente aberta, os efeitos sobre o turismo e os transportes são muito fortes e sensíveis provocando uma quebra no crescimento, nas receitas do turismo e com grande impacto no emprego.

Neste caso, explicou que uma das formas de mobilizar país, o emprego de fazer a inclusão social e de permitir maior capacidade de intervenção económica principalmente às pessoas mais vulneráveis é através do microfinanciamento para a promoção do emprego digno e para a inclusão social.

Assim, o Governo decidiu reforçar o Fomento ao Micro Empreendedorismo com 300 mil contos e aumentar a garantia para 80% do crédito (antes era de 50%), bem como o valor do aval que era 50%, passando para 60%, ou seja 160 mil contos.

De acordo com Elísio Freire, o objetivo é reforçar o financiamento das instituições de microfinanças para que possam ter acesso a mais crédito e possam alcançar a mais pessoas e se possa promover mais emprego.

A Pró-Empresa que é a entidade gestora do Programa de Fomento ao Micro empreendedorismo continuará a fazer acordos e parcerias com a Associação dos Profissionais das Instituições de microfinanças, com as instituições de microfinanças legalmente constituídas junto ao Banco de Cabo Verde e terá como parceiros fundamentais as câmaras municipais, a Associação de Jovens Empresários e as ONG’s, no sentido de chegar a mais entidades possíveis.

“Cada empréstimo variará entre os 300 contos e 1.500 contos, no máximo”, referiu o Ministro adiantando que o objetivo é permitir às pessoas terem rendimento para poderem iniciar uma atividade económica com inclusão produtiva, permitindo-lhes criar emprego e fazer a sua própria inclusão social.

A isto, reforçado com o rendimento solidário com todas as medidas que estão a ser tomadas a nível da proteção social, da proteção do emprego e da proteção do rendimento, o Governo acredita que está a dar um passo muito importante para o reforço da mitigação dos efeitos da crise da COVID-19 sobre a economia cabo-verdiana e sobre o emprego no país.

 

Fonte: https://www.governo.cv/governo-reforca-programa-fomento-ao-micro-empreendedorismo/?fbclid=IwAR3EKy6LJIloIv5PXrHcucsV7ngAtfNClCC1SPGmtFUWGJ-QCRBWugoeGrE

 

 

Termos De Referências - Recuperação De Rendimento - Mulheres No Sector Informal

0
0
0
s2sdefault

 

 

 

Termos De Referências -  Recuperação De Rendimento - Mulheres No Sector Informal

 

Páginas Amarelas oferece Website Grátis

0
0
0
s2sdefault

Páginas Amarelas posiciona-se como parceira das PMEs e oferece websitesgratuitos,para garantirem a sua presença digital. A crise causada pela Covid-19 temcausado alguns constrangimentos às empresas cabo-verdianas, tendo em conta quealgumas não estavam devidamente preparadas para a nova era digital. Constatou-se quea grande maioria não tem a presença digital que lhes permite estar mais perto dos seusclientes, particularmente nesta altura de distanciamento social. No entanto, as crisespodem proporcionar oportunidades e mudanças positivas. A Directel Cabo Verde- empresa detentora da marca Páginas Amarelas para Cabo Verde, São Tomé e Príncipe e Timor Leste -, ciente dos desafios que essas empresas enfrentam actualmente, eposicionando-se como parte da solução num momento de “djunta-mon”, deu início a uma campanha promocional de criação de landing pages.

A campanha oferece às pequenas e médias empresas, sem qualquer custo ou comprometimento inicial, o design, o conteúdo e o alojamento dos seus websites durante os 6 primeiros meses. Este é o momento certo para essas empresas investirem num posicionamento digital estratégico, a fim de minimizar os efeitos da crise e fazer prevalecer as medidas que o distanciamento social impõem.

Assim, pretende-se, com esta acção, fazer com que o mercado nacional sinta a devida importância de ter uma identidade online e ganhe tracção, de forma a desenvolver os seus negócios digitais. Com apenas uma semana de campanha nas Redes Sociais, foram mais de 200 os pedidos de informação sobre esta oferta, o que demonstra o interesse efectivo do mercado nesta primeira etapa digital. A etapa seguinte será a plataforma de e-commerce, que será lançada no próximo mês de Junho. Essas ofertas vêm se juntar também às ofertas que a empresa lançou no último trimestre de 2019, como o serviço:

  • Yellow Delivery - Entregas ao domicílio
  • A parceria com a Microsoft para os PALOP e África Oriental.
  • A Oferta website Free está disponível em Cabo Verde e em Junho será lançada igualmente nos mercados de São Tomé e Príncipe e Moçambique. De realçar que a totalidade da componente de preparação de Design e Conteúdo será efetuada por uma equipa 100% nacional.

 

Fonte: https://www.paginasamarelas.cv/pt/promo/site-gratuito-para-sua-empresa/como-soa-o-site-gratuito-por-6-meses

 

 

Mais de 120 empreendedores concorrem à primeira edição da Bolsa Cabo Verde Digital – Governo

0
0
0
s2sdefault

A primeira edição do programa Bolsa Cabo Verde Digital recebeu mais de 120 candidaturas vindos de jovens empreendedores, que terão a oportunidade de desenvolver soluções de base tecnológica, que “ganham outros contornos” com a covid-19.

O “Bolsa Cabo Verde Digital” foi lançado em Março deste ano pelo Governo, mais propriamente pelo Fundo da Promoção de Emprego e Formação (FPEF), com objectivo de dar aos jovens cabo-verdianos mais uma “importante oportunidade” de desenvolverem soluções de base tecnológica.

Recebeu, segundo informações do próprio Governo, candidaturas de 126 empreendedores, sendo que 88 destes projectos são de desenvolvimento de soluções de base tecnológica.

Os projectos selecionados, segundo a mesma fonte, vão ser brevemente anunciados nas páginas oficiais do FPEF e da Cabo Verde Digital, bem como nos canais dos parceiros, estando o arranque do processo de pré-incubação previsto para o início do mês de Julho.

“Com este programa pretende-se fomentar o surgimento e consolidação de mais ‘tech startups’, com uma bolsa para financiar até 100 jovens e um total de 50 projectos, no valor 30 mil escudos por mês a cada empreendedor, por um período de 6 meses”, explica o Governo, adiantando que optou pela criação deste projeto que, além da bolsa um período de até meio ano, vai igualmente dar facilidades de incubação numa das empresas nacionais de referência, bem como desenvolvimento de competências-chave.

Para o propósito, foram rubricados protocolos com vários parceiros de incubação e mentoria com entidades-chave do ecossistema tech nacional, como o Núcleo Operacional de Sistema Integrado (NOSI), a CV Telecom, a Unitel T+ e as Universidades.

“De frisar que este projeto que foi lançado logo no início do ano, ganha agora contornos de maior relevância: a inovação foi sempre a bússola norteadora do desenvolvimento. Em tempos como estes que actualmente vivemos (devido ao covid-19) com impactos transversais e que penalizam além do social, o económico e o quotidiano das nossas sociedades, as tecnologias ganham novamente um papel crucial”, sustenta o executivo.

Os novos desafios trazem, ajuntou, igualmente um leque de oportunidades, para os quais, o Governo de Cabo Verde espera que os jovens aproveitem ao máximo.

O público-alvo são jovens no último ano de licenciatura das áreas Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC) e recém-formandos, com “ideias empreendedoras ou iniciativas de base empreendedora, com visão para um projeto empresarial ou mesmo uma ‘startup’, com até dois anos de existência na área das TIC”.

O projecto Bolsa Cabo Verde Digital é implementado pelo FPEF, em coordenação com a Cabo Verde Digital, Pró-empresa e em parceria com os operadores chaves do ecossistema Tech no País e as Universidades.

 

Fonte: Inforpress - https://www.inforpress.cv/mais-de-120-empreendedores-concorrem-a-primeira-edicao-da-bolsa-cabo-verde-digital-governo/

EMPRESAS CABO-VERDIANAS EM CONCURSO INTERNACIONAL

0
0
0
s2sdefault

 

EMPRESAS CABO-VERDIANAS EM CONCURSO INTERNACIONAL

As empresas Cabo-verdianas Residencial CIMAC, Lamphope e Alkimist, participaram no programa de Aceleração RETA-T Lab Turismo, no âmbito do projeto SMARTDEST.

O SMARTDEST é um projeto da Macaronésia (Canárias, Açores, Madeira e Cabo Verde) que tem como parceiros Cabo-Verdianos a Pró Empresa, NOSi e Direção Geral de Turismo.  O projeto promoveu um programa de Aceleração RETA-T Lab Turismo em que 20 projetos tiveram a oportunidade de desenvolver soluções para problemas identificados no sector turístico e aplicáveis a Destinos Turísticos Inteligentes e Inovadores.

O RETA-T Lab Turismo foi desenhado para promover, consolidar e garantir assistência técnica a projetos com soluções para problemas identificados no setor turístico e aplicáveis a destinos turísticos inteligentes e inovadores. O programa de aceleração aconteceu à distância, entre 16 de janeiro e 30 de maio deste ano, diretamente de Las Palmas. Durante esta fase os promotores receberam assistência técnica e ferramentas para elaboração do Business Plan, de especialistas internacionais. Dentre as atividades realizadas, pode-se destacar:

  • 13 workshops de formação;
  • 10 horas de orientação (mentoring) por projeto;
  • intervenção de algumas empresas e entidades do sector turístico;
  • seguimento dos projetos;
  • semana de aceleraçãode projetos; semana de preparação das apresentações finais dos projetos;
  • apresentação final; prémiospara os 3 melhores projetos.
  • Na passada sexta-feira dia 26 de maio aconteceu a final online onde foram selecionados os três melhores projetos (ihotel; Round Route e Smartleaf), todos das ilhas Canárias.

O premio para os melhores projetos será a oportunidade de incubação por 2 meses nas incubadoras nas ilhas Canárias ou em Cabo Verde.

Integração de Cabo Verde no “top 100” do Ranking Mundial de Ecossistemas de Inovação para Startups é um “reconhecimento importante” – PM

0
0
0
s2sdefault

 

O primeiro-ministro considerou hoje que a integração de Cabo Verde “top 100” do Ranking Mundial de Ecossistemas de Inovação para Startups e no “Top 10” no continente africano é um ““reconhecimento importante”, especialmente para juventude empreendedora.

Numa publicação na sua página de Facebook, Ulisses Correia e Silva considerou que estas classificações vão dar visibilidade ao” trabalho meritório” que os jovens cabo-verdianos vêm realizando.

Por isso, o chefe do Executivo lembrou que as políticas empreendidas pelo Governo vão no sentido de transformar Cabo Verde numa referência mundial no sector da inovação, numa “forte e clara” aposta nos empreendedores.

Cabo Verde está na 91ª posição a nível global, com 0.183 pontos e entre os 10 do continente africano, no ranking liderado pelos Estados Unidos da América, seguidos pelo Reino Unido e Israel.

 

Fonte:https://www.inforpress.cv/integracao-de-cabo-verde-no-top-100-do-ranking-mundial-de-ecossistemas-de-inovacao-para-startups-e-um-reconhecimento-importante-pm/?fbclid=IwAR1Zfr2gyQmSMClXAFOa30JrTcgqrKGwhrGwFnrmSv1SA0HD1TmwZAWlqm0

 

COMUNICADO - RETOMA SERVIÇO ATENDIMENTO PRESENCIAL

0
0
0
s2sdefault

 RETOMA SERVIÇO ATENDIMENTO PRESENCIAL

 

Tendo em conta as novas medidas restritivas que permitam o regresso gradual à normalidade, informamos a todos os promotores/empresários, que já retomamos os serviços de atendimento ao público, a nível nacional, conciliando o trabalho presencial e o teletrabalho.

Assim, os atendimentos passarão a ser da seguinte forma:

  • Atendimento presencial – das 8 ás 14 horas - mediante o uso obrigatório de máscaras e respeitando o distanciamento mínimo de 1 metro;
  • Atendimento remoto através dos seguintes canais:
    • Linha verde – 8001023, das 8 ás 17 horas, de Segunda a Sexta – Feira;
    • Email geral: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
    • Portal: medidascovid19.proempresa.cv
    • Redes sociais: Facebook e Instagram;

Mais informamos que, todas as plataformas online de candidatura aos programas, continuam disponíveis para realização de todas as comunicações com os técnicos de acompanhamento, consultores e banca, como forma de seguir o avanço das candidaturas.

Comunicado Retoma Horário Normal de Atendimento

0
0
0
s2sdefault

 

 

Comunicado Retoma Horário Normal de Atendimento

 

Com o fim do Estado de Emergência, e tendo em conta a necessidade de se manter as medidas restritivas que permitam o regresso à “nova normalidade”, informamos a todos os promotores/empresários, que os serviços de atendimento ao público, voltam ao horário normal, a nível nacional, conciliando o trabalho presencial e o teletrabalho.

Assim, os atendimentos passarão a ser da seguinte forma:

  • Atendimento presencial – de segunda a sexta-feira; das 8 ás 17 horas - mediante o uso obrigatório de máscaras e respeitando o distanciamento mínimo de 1.5 metro;
  • Atendimento remoto através dos seguintes canais:
    • Linha verde – 8001023, de Segunda a Sexta-Feira, das 8 ás 17 horas;
    • Email geral: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
    • Portal: www.medidascovid19.proempresa.cv
    • Redes sociais: facebook e instagram

Mais informamos que, todas as plataformas online de candidatura aos programas, continuam disponíveis para realização de todas as comunicações com os técnicos de acompanhamento, consultores e banca, como forma de seguir o avanço das candidaturas.

 

O Conselho Diretivo.”

4ª Edição da Newsletter da PRÓ EMPRESA

0
0
0
s2sdefault

 

Caros Parceiros,

Empresários e Empreendedores,

Esta semana, neste quarto número da nossa newsletter, lançamos um olhar sobre potenciais oportunidades oferecidas pela tecnologia, assim como pelo mundo digital, como consequências do surgimento da pandemia do COVID19. 

Efectivamente, esta crise desafia-nos a romper os paradigmas, até então considerados normais e está a levar-nos a apostar cada vez mais nos canais digitais e na inovação, para darmos respostas às chamadas vindas da sociedade em geral. 

Uma dessas apostas é o surgimento de uma nova visão sobre a adaptação do novo “modus operandis”, quer da parte da Administração Pública de forma isolada e ou em parceria com o Setor Privado. Trazemos assim, exemplos de casos concretos de como é possível atingir sucesso, numa sinergia público-privada, aliando a tecnologia à necessidade real.

É possível conferir também as habituais dicas empresariais, estruturadas por setor de atividade, bem como os exemplos de empresas que transmitem inspiração pela forma como enfrentam e estão a dar a volta à crise.

Aproveitem cada mensagem e votos de boa leitura!

O Conselho Diretivo da Pró Empresa

 

Prepare o seu negócio para o “novo mundo”

0
0
0
s2sdefault

Prepare o seu negócio para o “novo mundo”

O COVID 19 trouxe com ele uma crise não só económica. Uma crise global que obrigou a mudanças de hábitos, de costumes, e até de pensar das pessoas. No período pós pandemia é pouco provável que tudo volte a ser como antes. Foi e vai ser preciso rever o modo de trabalhar, de atender os clientes e até mesmo o fornecimento de bens e produtos.

A Pró Empresa pesquisou algumas tendências para o período pós pandemia.

 

1º Trabalho Remoto

Durante todo o tempo de isolamento foi o “home office” que permitiu que as organizações mantivessem suas rotinas de trabalho.

2º Educação a Distância

Se a maior parte dos investimentos em I&D (Investigação e desenvolvimento de pessoas) de grandes e pequenas empresas fossem em treinamentos presenciais, o “novo mundo” abrirá espaço para jornadas de desenvolvimento cada vez mais digitais. Capacitações online que possibilitarão um aprendizado de acordo com a rotina das pessoas, e também um novo nicho de mercado.

3º Mentoria

As plataformas digitais que permitam uma conexão com professores, especialistas e mentores são uma tendência crescente para quem busca aprender novas habilidades sem perder a interação humana. 

4º Apropriação Digital

Segundo uma pesquisa da Bain & Company, cada vez mais as pessoas estão procurando soluções digitais. Essa apropriação do online é muito positiva, especialmente em um mundo que caminha para uma agilidade e competitividade crescentes. Profissionais preparados para essa expansão do mercado terão um grande diferencial no médio e longo prazo. 

5ª: Minimalismo

O minimalismo e a preocupação com práticas mais conscientes são ótimos frutos da crise. Cada vez mais, as pessoas percebem que podem viver mais com menos. Isso tem uma repercussão em diversos âmbitos da vida, desde hábitos de consumo, ao entendimento do que realmente é importante. 

6ª: Lifelong learning

A partir da agilidade das transformações no mundo, o aprendizado não pode ser mais visto como uma jornada com início, meio e fim. Devemos aprender constantemente ou seremos postos de lado por novas crises e desafios. Este momento complexo e desafiador apenas reforçou como devemos estar dispostos a nos reinventarmos e que garantir a continuidade do desenvolvimento é essencial para a sobrevivência de pessoas e organizações. 

 

O que está esperando? 

O COVID-19 teve impactos nunca vistos no mundo, e muitos desafios ainda estão por vir para o setor privado. Pode ser um momento desafiador, libertador ou ameaçador na mesma, e somente você poderá decidir o rumo da sua empresa.

São as atitudes tomadas hoje que poderão garantir o futuro, então o que está esperando? Prepara o seu negócio para o “novo mundo”.

E não esqueça que a Pró Empresa é o parceiro ideal, que o seu negócio precisa!

 

 

 

   

Newsletter

Email address: