Cabo Verde fechou 2019 com crescimento económico de 5,7%, segundo INE

0
0
0
s2sdefault

Cabo Verde registou em 2019 um crescimento económico de 5,7% do Produto Interno Bruto (PIB), de acordo com o relatório das Contas Nacionais Trimestrais divulgado hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

O Índice de Preços no Consumidor (IPC) registou uma taxa de variação mensal de zero por cento (%) no total nacional, taxa nula comparando com a do mês anterior, segundo dados do Instituto Nacional de Estatísticas (INE).

Segundo o estudo do INE, Cabo Verde fechou o último trimestre de 2019 com um crescimento de 5,7% do PIB, face ao mesmo período de 2018, evolução que “resultou do maior contributo das despesas do consumo final e das exportações”.

No primeiro trimestre de 2019 o crescimento foi 5,0%, no segundo trimestre atingiu os 5,1% e no terceiro trimestre subiu para 6,9%.

“A taxa de variação acumulada dos quatro trimestres de 2019 aponta para um crescimento anual do PIB de 5,7%, em volume”, conclui o INE.

Cabo Verde registou em 2018 um crescimento económico de 4,5% do PIB.

Com o país a entrar no terceiro ano de seca, o PIB da agricultura recuperou, apesar de continuar em terreno negativo. Em 2018 caiu 23,2%, mas no ano passado a quebra, em termos homólogos, foi de 5%.

Apesar deste registo em 2019, o cenário do país mudou drasticamente e o vice-primeiro-ministro cabo-verdiano desvalorizou, no final de março, todos os indicadores nacionais anteriores, alertando para a nova realidade provocada pela pandemia de covid-19 e assumindo que o Orçamento em vigor “pifou”.

“Era tudo indicadores bons e que agora estão todos em causa. Portanto, o quadro mudou de forma radical. Agora, praticamente, o PCI [programa de assistência técnica, do FMI] já não existe, porque o Orçamento pifou. Nós, até em função daquilo que está em causa, nem sequer podemos falar hoje de um Orçamento retificativo em termos de substância”, afirmou Olavo Correia, que é também ministro das Finanças.

O Governo tem lançado várias medidas para minimizar os impactos da crise económica que já se sente no arquipélago, dependente do turismo e fechado ao exterior devido à pandemia provocada pelo novo coronavírus, tendo Olavo Correia assumido já a preparação de um novo Orçamento do Estado para 2020.

Em cima da mesa, segundo o governante, está um cenário de défice orçamental que dispara este ano de 2 para 10% do Produto Interno Bruto (PIB), com a correspondente “explosão” da dívida pública e uma recessão económica de 4 a 5% do PIB, contra o crescimento anual acima de 5% que se registava até agora.

O quadro, explicou, é composto ainda por, “no melhor cenário”, a duplicação do desemprego, cuja taxa poderá chegar aos 20% e a quebra de 18 mil milhões de escudos (163 milhões de euros) em receitas públicas.

“Claro que em termos legais pode ser este o conceito [Orçamento retificativo], mas em termos de substância temos de falar de um novo orçamento”, afirmou.

“Após esta crise sanitária, virá seguramente uma crise económica (…) A prioridade são as pessoas e só depois a economia”, afirmou o vice-primeiro-ministro, admitindo “consequências económicas dolorosas” no futuro para Cabo Verde.

O país tem atualmente casos de covid-19 confirmados nas ilhas da Boa Vista (4), de Santiago (2) e de São Vicente (1). Um dos casos da ilha da Boa Vista, um turista inglês de 62 anos, acabou por morrer.

 

Fonte: Sapo Notícias - https://noticias.sapo.cv/economia/artigos/cabo-verde-fechou-2019-com-crescimento-economico-de-57-segundo-ine


Imprimir   Email

Video

+ Slide
- Slide
  • 00:00